Pesquisa do Ibope aponta mudanças mas Bolsonaro segue liderando

Publicado por em 10 de setembro de 2018


Na primeira pesquisa realizada pelo Ibope/Estado/TV Globo após o ex-presidente Lula (PT) ter sua candidatura indeferida, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) segue liderando a corrida presidencial, com um aumento de dois pontos percentuais em relação a última pesquisa, divulgada a duas semanas atrás. Agora ele soma 22% das intenções de voto. 

Ciro Gomes (PDT) subiu três pontos, de 9% para 12% e agora está empatado numericamente com Marina Silva (Rede), que não se moveu. O tucano Geraldo Alckmin, que detém quase metade do tempo de horário eleitoral gratuito e é representante da maior coligação da disputa, subiu de 7% para 9%. O ex prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, antes vicê de Lula e que deve assumir em breve o posto de candidato titular do PT, já aparece com 6% das intenções de voto, 2% a mais do que a anteriormente divulgada. O deputado lidera também outro quesito, a rejeição: 44% dos entrevistados não votariam nele de jeito nenhum, ele é seguido por Marina (26%), Haddad (23%), Alckmin (22%) e Ciro (20%).

Na simulação de um possível segundo turno, Bolsonaro seria derrotado pelos candidatos, Ciro (44% a 33%), Marina (43% a 33%) e Alckmin (41% a 32%), e ficaria empatado tecnicamente com Haddad (36% para o ex prefeito e 37% para o deputado). As pesquisas começaram a ser feitas no sábado, um dia após o ínicio do horário eleitoral. Dando tempo, portanto, de captar o impacto da propaganda dos candidatos na TV e no rádio. Uma coisa a se destacar, é a queda expressiva na parcela do eleitorado que votaria nulo ou em branco, de 29% para 21%. A taxa de indecisos caiu de 9% para 7%.

O Ibope ouviu 2.002 eleitores, em 142 municípios, entre os dias 1º e 3 de setembro. A margem de erro do levantamento é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos, e o intervalo de confiança é de 95%. Isso significa que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro. O registro na Justiça Eleitoral foi feito sob o protocolo BR05003/2018. Os contratantes foram o Estado e a TV Globo.

A divulgação do levantamento estava prevista para terça-feira (4), mas foi necessário adiá-la em razão de uma consulta ao Tribunal Superior Eleitoral. O registro inicial da pesquisa, feito no dia 29 de agosto, ainda trazia um cenário com Lula como candidato. Porém, na madrugada de sábado (1), o TSE indeferiu o registro da candidatura do ex presidente.

Diante do ocorrido, o Ibope decidiu retirar da pesquisa o cenário com Lula, e manter apenas o que trazia Haddad em seu lugar. Como as perguntas feitas não seguiram exatamente o roteiro previsto no questionário registrado na semana anterior, foi necessário consultar oTSE. Na tarde desta quarta-feira, o ministro Luiz Felipe Salomão decidiu não analisar o mérito da questão, alegando que o Ibope não poderia ter feito a consulta, por não ser “autoridade com jurisdição federal ou órgão nacional de partido político”.

Escrito por Gabriel Torres, revisado por Andrey Mattos



Comentários Fechados