Garotinho é condenado e candidatura ao governo do estado está ameaçada

Publicado por em 6 de setembro de 2018

Foi confirmada nesta terça-feira (4), pelo Tribunal Regional Federal da 2ª região – TRF-2, a condenação do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho (PRP), por formação de quadrilha, imposta em 2010 em primeira instância. O candidato é acusado de atuar como chefe de um grupo instalado dentro da Polícia Civil, que recebia dinheiro para beneficiar investigados, assim, deixando de reprimir o jogo de caça-níqueis no estado. No caso, foi condenado também o ex-chefe da Polícia Civil Álvaro Lins, além de mais oito pessoas.

A ação penal é resultado da Operação Gladiador da Polícia Federal, de 2006, contra o jogo de azar no Rio. Eles foram acusados de comandar esquema de lavagem de dinheiro, corrupção e facilitação ao contrabando. Candidato ao mesmo cargo neste ano, Garotinho corre o risco de se tornar inelegível devido a Lei da Ficha Limpa, que proíbe a participação na eleição de pessoas condenadas em segunda instância. O mesmo já foi preso por três vezes desde novembro de 2016 em razão de ações na Justiça eleitoral, mas, Anthony conseguiu liminares no Supremo Tribunal Federal para trancar os dois processos a que responde nesses casos.

O mandado de prisão contra o ex-governador será expedido somente após a análise dos embargos declaratórios ainda não cabíveis. A pena ao político que seria de dois anos e seis meses passou para quatro anos e seis meses. A decisão foi tomada pelos juízes da 2ª Turma Especializada, que posteriormente, resulta no regime inicial semiaberto, em que o candidato deverá dormir na cadeia.

Escrito por Ana Luiza García e revisado por Andrey Mattos

 



Comentários Fechados