Turispetro divulga Bauernfest para retomar movimento após a crise

Publicado por em 28 de maio de 2018

thumbnail_IMG_4193_1

Cancelamentos de diárias em hotéis, desistência de grupos agendados para visitas nos pontos turísticos e restaurantes vazios são alguns dos reflexos sentidos no turismo de Petrópolis em função da greve dos caminhoneiros, que atingiu 26 estados e o distrito federal. Alta temporada para o setor na cidade, a falta de combustível e o bloqueio nas estradas preocupa o trade turístico. Antes da greve, o município já registrava mais de 80% de ocupação em seus hotéis e pousadas durante os fins de semana, o que deve cair em torno de 20%. O setor apostava no friozinho da Serra para movimentar a economia com a presença de visitantes.

            Com foco na retomada do movimento do setor, a Turispetro já divulga a Bauernfest – principal festa no calendário de eventos da cidade – participando da 24ª BNT Mercosul, que acontece nesta sexta-feira (25.05) e no sábado (26.05), em Itajaí, Santa Catarina. Representantes da secretaria também divulgam os circuitos turísticos da cidade, como o cervejeiro, histórico-cultural, de compras, religioso, entre outros.

            Um dos atrativos mais visitados da cidade, o Museu Casa de Santos Dumont é um dos termômetros do turismo na cidade. Nesta sexta-feira (25.05), todos os quatro grupos escolares – principalmente de cidades do Rio de Janeiro e de Minas Gerais – que estavam agendados para visitação cancelaram o passeio. Para este sábado (26.05), o cenário se repete e três colégios que fariam a visitação ligaram informando a desistência. No total, foram 330 visitantes que a cidade deixará de receber no período com os sete grupos.

“É um momento de crise e sem dúvida o turismo sentiu os reflexos das manifestações. Tivemos baixas nos hotéis, pousadas, restaurantes, comércio. Esperamos que a situação seja resolvida para que a cidade volte a receber seus visitantes, já que o turismo é um dos principais pilares da economia do município”, destaca o secretário da Turispetro, Marcelo Valente.

Na Associação dos Guias de Turismo de Petrópolis, 90% dos grupos agendados para visitar a cidade cancelaram a visita. “Dos 28 guias que temos, 20 estão sem trabalho no fim de semana por conta da greve. Cerca de 500 pessoas que viriam nos grupos não vêm mais”, explica a presidente da Associação de Guias de Turismo de Petrópolis, Ana Beatriz de Oliveira

            As ligações também não param de chegar nos hotéis e pousadas da cidades. A maioria dos estabelecimentos teve suas reservas para o fim de semana canceladas. “Recebemos muitas desistências. É um impacto grande para todos nós, não só da hotelaria, mas de todos os setores. As pessoas estão assustadas. Ainda não temos nem como mensurarmos o prejuízo. Já tínhamos muitos cancelamentos na sexta-feira, mas as pessoas ainda estão aguardando as próximas notícias, então pode ser que no sábado os cancelamentos continuem”, frisa o presidente do Convention & Visitors Bureau, Samir El Ghaoui.

Eventos que seriam realizados neste fim de semana, como a etapa do Campeonato Estadual de Rally de regularidade, que aconteceria pela primeira vez em Petrópolis, no Parque Municipal, e ajudaria a movimentar a hotelaria e comércio de Itaipava, também foram cancelados.

Exemplo de queda, no Sesc de Nogueira, que vinha com uma ocupação diária de 70% este mês, sofreu uma queda de 10% nesta sexta.

            O setor cultural também sentiu impactos da greve. Na última quinta-feira (24.05), o projeto Petrópolis em Serenata, que chegaria à Cascatinha este mês, precisou ser cancelado.

 



Comentários Fechados