Justiça intima Concer a entregar à Defesa Civil documentos sobre o túnel

Publicado por em 16 de novembro de 2017

thumbnail_Trecho do tunel abandonado 1

A Defesa Civil de Petrópolis, por exigência do Ministério Público Federal (MPF), acordado em reunião na sexta-feira (10.10),  terá acesso à toda a documentação solicitada à Concer até esta segunda-feira (13.11). Em decisão judicial proferida na madrugada deste domingo, o juiz titular da 4ª Vara Cível, Jorge Martins, determina também que a Concer entregue toda a documentação técnica referente à construção do túnel e da nova pista de subida da serra ao município.  O prazo dado pelo magistrado é de cinco dias úteis a contar desta segunda-feira e a desobediência prevê multas e procedimento de busca e apreensão.

“Necessário saber a extensão dos danos, localização do traçado do túnel, suas dimensões e o grau de deterioramento da obra, abandonada há mais de um  ano. Técnicos e peritos – de órgãos afins e também da justiça – poderão, então, proceder em um laudo que indique o que deve ser feito em relação à estrada e às comunidades”, afirma o prefeito Bernardo Rossi.

A Concer informou aos promotores do MPF que contratou seis empresas de engenharia para realizar uma série de estudos no local. A Concer informou também que vai trazer um equipamento importado para entrar no túnel. O município vai exigir que todas as informações, inclusive as que estão sendo apuradas em curso, sejam franqueadas à Defesa Civil e demais órgãos.

Além da Defesa Civil, o Companhia de Pesquisas Minerais (CPRM), que é o Serviço Geológico do Brasil,  e o DRM- RJ (Departamento de Recursos Minerais do Estado do Rio de Janeiro) também recebem esses dados. Está ainda mobilizado o professor doutor Claudio Amaral, professor titular da faculdade de geologia da UERJ e um dos maiores especialistas do país em geologia de engenharia, contatado pelo município.

“De posse de documentos de toda a obra e do que foi prejudicado agora poderemos avaliar o que está preservado, o que está comprometido e, só aí, emitir um laudo”, considera Paulo Renato Vaz, secretário de Defesa Civil.




Comentários Fechados