Consórcio Saúde Legal reafirma prioridade na manutenção dos empregos dos funcionários da UPAS

Publicado por em 4 de setembro de 2017

upa

A manutenção dos empregos dos funcionários das UPAs é uma prioridade do Consórcio Saúde Legal classificado em licitação para administrar as duas Unidades de Pronto Atendimento. Atendendo a uma solicitação da prefeitura, o Consórcio, caso seja homologado como vencedor da licitação, irá manter os 491 funcionários das unidades do Centro e Cascatinha, além de fornecer um sistema de formação continuada para que a assistência à população mantenha a qualidade dos serviços.

Os funcionários também receberão alimentação e uniformes personalizados para cada área de atuação. Hoje a equipe administrativa atua apenas com crachá de identificação. As unidades do Centro e Cascatinha contam com 246 e 245 funcionários, respectivamente, e são responsáveis pelos atendimentos de urgência e emergência no município.

“Estamos empenhados em manter a qualidade do atendimento da população, mas também dos funcionários que contribuem diariamente para que a assistência seja feita com excelência. O Consórcio assumiu o compromisso de tratar todos os funcionários com muito respeito e também na manutenção dos empregos que era uma preocupação da prefeitura”, explica o secretário de Administração, Marcus von Seehausen.

De acordo com Cassiano Silva, diretor da Rio de Janeiro Serviços e Comércios, consorciada e que ficará responsável pela parte de recursos humanos das UPAs, a empresa priorizará por uma transição tranquila para que não haja impacto para a população e também funcionários das unidades.

“Acreditamos que conforme a proximidade da definição da licitação possa surgir aflição quanto à manutenção dos empregos, mas nós iremos garantir 100% da mão de obra de Petrópolis. Somos uma empresa de recursos humanos com grande expertise na área e todos os funcionários serão absorvidos de acordo com a sua capacidade técnica para exercer a sua função. Temos como conduta fornecer a educação continuada para que todos tenham o mesmo padrão de qualidade no atendimento à população”, afirma.

 Na licitação o valor que contempla a administração plena de ambas as unidades foi fechado em R$ 26.155.000,00 anuais. O novo contrato, com a vencedora da licitação, estabelece que todos os serviços – entre os quais exames, equipamentos, serviços de manutenção, ambulâncias, medicamentos, alimentação, insumos e combustível, por exemplo –  passem a ser de responsabilidade da contratada. Hoje, esses serviços são mantidos pela prefeitura.

A Rio de Janeiro Serviços e Comércios é detentora de 40,41% referentes ao consórcio e cuidará, além dos recursos humanos, do fornecimento de alimentação, lavagem de roupas, reposição de enxoval, uniformes, ambulâncias, entre outras.

“Pretendemos implantar novos protocolos e trazer um novo modelo de gestão para as unidades. Todas as empresas que hoje compõem o consórcio são especialistas no que se propõe a fazer. Temos experiência em outras regiões com serviço semelhantes e a meta não é só manter o bom funcionamento é aprimorá-lo ainda mais”, anuncia Cassiano Silva.

O Consórcio Saúde Legal, classificado no processo, reúne ainda as empresas Renacoop, que terá a responsabilidade com a manutenção de equipamentos hospitalares e predial; a Lino Briote Produtos Farmacêuticos e Hospitalares fornecerá os medicamentos e a DPAD Serviços Diagnósticos realizará os exames laboratoriais.

 

​Fotos: Marcello Santos


Comentários Fechados