Rio de Janeiro reduz taxa de desemprego e aumenta o rendimento em junho

Publicado por em 25 de julho de 2014

Carteiradetrabalho

O mercado de trabalho da Região Metropolitana do Rio de Janeiro acelerou mais uma vez em junho, com taxa de desocupação em queda e rendimento em alta, segundo mostram dados divulgados hoje pelo IBGE. A taxa de desemprego na região ficou em 3,2% no mês, com queda significativa em relação a junho de 2013, quando era de 5,3% e recuo também em relação a maio de 2014 (3,4%).

Os resultados para junho foram apurados pelo IBGE em apenas quatro das seis regiões metropolitanas tradicionalmente pesquisadas, devido às paralisações de trabalhadores do instituto. O desemprego no Rio, em junho, apresentou a menor taxa comparativamente às demais regiões: São Paulo (5,1%), Recife (6,2%) e Belo Horizonte (3,9%).

No que diz respeito ao rendimento médio real dos trabalhadores, os resultados do Rio de Janeiro se distanciam cada vez mais das demais regiões, inclusive de São Paulo. Em junho, a renda dos ocupados na Região Metropolitana do Rio de Janeiro chegou a R$ 2.266,60, com alta de 6,5% em relação a igual mês de 2013, apesar do ligeiro recuo de 0,5% ante o mês anterior. Em São Paulo, a renda média real não ultrapassou R$ 2.106,30, com queda de 1,6% ante maio e aumento de apenas 0,6% no confronto com junho do ano passado.

Na indústria do Rio, o rendimento médio real atingiu R$ 2.666,00 em junho, com o significativo acréscimo de 15,1% na comparação com igual mês do ano passado e aumento de 1,6% ante maio de 2014. Na Região Metropolitana de São Paulo, a renda na indústria ficou em R$ 1.959,50 em junho, com queda na comparação com o mês anterior (-3,6%) e com  junho do ano passado (-5,6%).

“A melhora na renda média dos trabalhadores em geral e, sobretudo, na indústria, reflete a atração de investimentos na indústria de transformação para o Estado, inclusive na Região Metropolitana, como na Baixada. Além disso, a vinda de centros de desenvolvimento tecnológico para o Rio, com a contratação de mão de obra qualificada, também contribuipara esses resultados positivos apurados pelo IBGE”, observou o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno.



Deixe seu comentário